14/12 9:11

Instituto Estre participa do Simpósio “Educação Ambiental e Transição para Sociedades Sustentáveis”

Por institutoestre

Imagem de atividado durante o Simpósio
Atividade durante o Simpósio

O Instituto Estre apoiou e participou do Simpósio “Educação Ambiental e Transição para Sociedades Sustentáveis”, realizado nos dias 29 e 30 de novembro pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq/USP), Campus de Piracicaba (SP). O Simpósio aconteceu com o intuito de dialogar e compartilhar pesquisas e experiências que são tidas como referências na transição para sociedades sustentáveis.

O evento nasceu por meio da iniciativa e de reflexões da Coordenação da Especialização em Educação Ambiental e Transição para Sociedades Sustentáveis, coordenado por vivian Battaini e Rachel Trovarelli. “Refletíamos sobre como celebrar a realização do curso com os estudantes e interessados, fomentar a continuidade de atuação após a finalização da graduação e dar visibilidade ao que foi desenvolvido”, explica Vivian. a especialista ainda afirma que era esperado no encontro o “enfrentamento do grande desafio de reduzir o distanciamento entre compreender os conflitos socioambientais, o dia-a-dia das pessoas e, ao mesmo tempo, avançar na transição para sociedades mais sustentáveis”.

Além de Vivian, entre os participantes também estavam representantes do setor público e privado, instituições de ensino superior (pesquisadores, docentes, especialistas e estudantes de pós-graduação e graduação) e membros da sociedade civil organizada. O Instituto Estre participou da oficina “Projetos, Programas e Políticas Públicas de Educação Ambiental”, ministrada pela Doutora em Ciências Semíramis Biasoli e também Secretária Geral do FunBEA.

“O conteúdo desenvolvido no Simpósio foi muito rico. As mesas redondas movimentaram reflexões profundas sobre o papel de cada um e do coletivo na transição”, argumenta Vivian. Na mesa “Mudar o Sistema e não o clima” a diversidade de olhares dos três palestrantes (Antônio Donato Nobre, Gilmar Mauro e Eda Tassara) mostraram a complexidade da transição. Na mesa “Educação Ambiental e Transição para Sociedades Sustentáveis” foi realizado um aprofundamento do conceito de transição e um olhar mais específico em relação ao papel da educação ambiental nela, evidenciado o amor e a arte nos processos educadores e, por fim, sobre a necessidade de fomentar a Cultura da terra (com falas de Ernento Nunes, Amadeu Logarezzi e Marcos Sorrentino). As palestras foram transmitidas ao vivo pelo Facebook e puderam ser acessadas quase na íntegra.

Ainda, houveram apresentações de trabalhos e a realização de quatro oficinas: Projetos, Programas e Políticas Públicas de Educação Ambiental, com Semíramis Biasoli; As danças circulares como uma proposta de construção de redes em educação ambiental, com Edna Costa; Da pá virada: revirando o tema lixo. Vivências emEducação Ambiental e Resíduos Sólidos, com Ana Maria Meira (USP Recicla CampusPiracicaba); e Agroecologia e Educação Ambiental – Um diálogo necessário, com Fernanda Corrêa de Moraes.

O evento finalizou com a apresentação do Grupo Corda de Barro que trouxe na prática a arte como instrumento de educação ambiental, promovendo a interação entre os participantes. A arte também foi o fio condutor da Exposição “É preciso ter força” e na gastronomia, com a alimentação da empresa Maria Bonita – Salgados e Refeições Veganas.

Saiba mais sobre o Simpósio:

http://www.ocausp.wixsite.com/cursos/informacoes

Veja os trabalhos exibidos no evento:

http://www.ocausp.wixsite.com/cursos/trabalhos-selecionados

Veja mais sobre a OCA e o trabalho de pesquisa desenvolvido em:

https://www.facebook.com/ocaea/