28/11 4:24

SIPAT-SIPATMA: a educação ambiental na agenda das empresas

Por institutoestre

No Brasil, desde 1978, algumas empresas – a depender da atividade e do número de funcionários -, são obrigadas a realizar um evento de caráter educativo e preventivo: a Semana Interna de Prevenção a Acidentes de Trabalho (SIPAT), que mais tarde ganhou também as letras “M” e “A”, referentes à promoção de atividades de educação ambiental. Entenda o que é e como funcionam.

A SIPAT ou SIPATMA é regulamentada pelo Ministério do Trabalho e realizada dentro de cada empresa pela CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), com o objetivo de aproximar e treinar o corpo de colaboradores sobre questões importantes para a segurança no trabalho e do meio-ambiente. Ainda, é preciso prestar contas ao Ministério do Trabalho sobre a participação dos funcionários, então é preciso fazer um rígido controle de presença. “Tem lista para assinar e relatório com foto”, reforça Cíntia Maciel, assistente de projetos do Instituto Estre.

O evento também abre a inclusão de outros diálogos. “As empresas já aproveitam esses momentos para uma palestra, um teatro, atividades de educação ambiental, prevenção às DSTs e uso de drogas ilícitas, direção defensiva, entre outras”, complementa a assistente de projetos. Ao incluir temas ambientais, a empresa contempla também a norma ISO14001.

Alexsandro dos Santos Costa, técnico em meio-ambiente da empresa General Electric, em Sergipe, esteve em outubro na última SIPATMA que o Instituto Estre colaborou. Para ele, o evento foi de fundamental importância: “a maquete do aterro sanitário promoveu, de maneira lúdica, diálogos e reflexões socioambientais aos participantes, a importância do aterro e o respeito da preservação dos recursos naturais e da sustentabilidade”.

Durante os meses de setembro e outubro, mais de 400 pessoas participaram de 8 palestras realizadas pelo Instituto Estre na SIPAT ou SIPATMA, organizadas por diversas empresas. O Hospital Municipal de Paulínia e a Chem-Trend Brasil, no sudeste, e a General Electric (GE Power), no nordeste, são alguns exemplos. Entre as atividades, além da maquete, estão palestras com temas propostos pelas próprias empresas ou sobre o ciclo de resíduos, novas tecnologias para tratamento de resíduos e consumo, entre outras. “Às vezes, vale frisar a importância da reciclagem porque estão implantando coleta seletiva e os colaboradores estão com dificuldade. É bem bacana”, comenta Cíntia Maciel.

Como funciona?

Geralmente, o convite acontece de duas formas: a empresa interessada entra em contato diretamente com o Instituto Estre por já ter participado de algum projeto e conhecido o trabalho; ou então o contato acontece internamente, por meio da Estre Ambiental, empresa mantenedora do Instituto, que repassa as demandas.