23/08 7:45

Instituto Akatu e o Consumo Consciente no Brasil

Por institutoestre

Virgínia, do Instituto Akatu, e dados da Pesquisa de 2018 sobre Consumo Consciente

Virgínia, do Instituto Akatu, e dados da Pesquisa de 2018 sobre Consumo Consciente

 

Consumimos e descartamos coisas quase todo o tempo. No cotidiano, pouco associamos o ato de comprar um produto e/ou de utilizar um serviço com os impactos ambientais e sociais que essa ação pode gerar.

Ao adquirir itens alimentícios, de vestuário, tecnológico, etc., acionamos uma cadeia de serviços, etapas (extração de recursos naturais, processos produtivos, distribuição, consumo e descarte) e diferentes atores como pequenas e grandes empresas, o poder público, comunidades e os próprios consumidores e consumidoras. Assim, a construção de sociedades mais justas, igualitárias e sustentáveis revela-se como um desafio e uma responsabilidade de todos e todas.

Pensando nisso, convidamos a coordenadora de conteúdo do Instituto Akatu, Virgínia Antonioli, para compartilhar conosco um pouco da atuação da instituição, e conversar sobre os resultados do último estudo lançado em julho. A “Pesquisa Akatu 2018 – Panorama do consumo consciente no Brasil: desafios, barreiras e motivações” tem o objetivo de “avaliar o grau de percepção dos brasileiros no comportamento de consumo, expectativas quanto à responsabilidade social e ambiental das empresas e os principais desafios e motivações em direção às práticas mais sustentáveis”, coloca a coordenadora.

Contando com a contribuição de cerca de mil pessoas pelas cinco regiões do Brasil, os comportamentos ou o grau de consciência dos consumidores foram agrupados em 4 perfis – 30% indiferente, 38% iniciante, 20 %engajados e 4% conscientes – que, de acordo com o Akatu, indicam uma maior ou menor adesão das pessoas quanto às atividades e/ou hábitos de consumo consciente.

Os resultados deste ano revelam um aumento significativo de iniciantes, ou seja, de pessoas que adotam ao menos 5 comportamentos em suas rotinas. Para Virginia, isso demonstra que “é o momento de recrutar pessoas para o rol de pessoas conscientes”, mas não podemos deixar de lembrar, conforme também aponta a especialista que, “de modo geral, os comportamentos mais conscientes estão relacionadas à economia, como desligar lâmpadas e fechar torneiras”. Apesar da adesão reduzir quando se expande para comportamentos mais ativos e mobilizadores – que vão além da própria casa -, para Virgínia, os resultados mostraram preocupação e preferência do consumidor por caminhos mais sustentáveis – embora seja necessário esforço e, em muitos casos, maiores custos.

Os dados da pesquisa apresentam ainda um mapeamento das características das pessoas dentro dos quatro perfis, revelando diferenças entre as regiões do país, mulheres e homens, faixa etária, escolaridade e classes sociais quanto às percepções e expectativas do comportamento de consumo. Outro dado curioso está relacionado ao termo “sustentabilidade”. Apenas 68% dos entrevistados revelaram já terem ouvido falar sobre o termo, e sua definição está, quase sempre, focada na dimensão ambiental. Aspectos sociais e econômicos, por exemplo, acabam ficando em segundo plano.

De acordo com a coordenadora de conteúdo do Instituto Akatu, a Educação Ambiental é um caminho para a mobilização da sociedade. “O apoio e a parceria de instituições que promova a educação ambiental se relaciona diretamente com o incentivo e à adoção de hábitos mais conscientes de consumo”, afirma. De acordo com Virginia e o Instituto Akatu: “consumo consciente não significa deixar de consumir, mas consumir melhor e diferente, para que todos vivam com mais bem-estar hoje e no futuro”.

Para saber mais sobre a pesquisa “Panorama do consumo consciente no Brasil: desafios, barreiras e motivações” acesse o link:

https://www.akatu.org.br/arquivos/Pesquisa_akatu_apresentacao.pdf

Sobre o Instituto Akatu

Criado em 2001, o Akatu é uma ONG sem fins lucrativos focada na mobilização da sociedade para a perspectiva do consumo consciente. O consumidor é visto como um importante protagonista e indutor de novos hábitos, capaz de influenciar a atuação das empresas.

Com o propósito de apoiar a busca por modelos de produção e consumo mais sustentáveis, o Instituto Akatu divide suas atividades em duas frentes – Educação e Comunicação – realizando eventos, desenvolvendo campanhas, conteúdo, metodologias e pesquisas.

Saiba mais no site oficial: http://www.akatu.org.br